Músicos Educadores

Dim lights Embed Embed this video on your site

O curso Formação de Músicos Educadores tem duração de 6 semestres, e um total de 72 disciplinas.

Setenta e cinco por cento dessas disciplinas são voltadas mais especificamente para a formação do Músico; vinte e cinco por cento, para a formação do Educador. O curso funciona com carga horária semanal de 12 horas, além das horas que cada aluno deve utilizar para os estágios supervisionados.

Objetivos gerais do curso

Contribuir para uma aprendizagem musical sem fronteiras, através de uma proposta de formação de alunos e multiplicadores baseada na ideia de música como linguagem - uma concepção que possibilita ao aluno compreender, relacionar e interagir mais profundamente com as músicas de todas as épocas e lugares;

Oferecer  novas possibilidades de escolher Música como profissão a partir de um projeto que avalia e integra tanto as características da tradição de ensino e aprendizagem do músico erudito quanto as características de propostas surgidas ou divulgadas a partir do início do século XX;

Formar Músicos Educadores a partir de experiências musicais com a voz, o corpo, o violão e o piano, oferecendo-lhes possibilidades de desenvolvimento de bases técnico-musicais que ampliam consideravelmente suas possibilidades expressivas na aprendizagem de qualquer outro instrumento;

Propor e divulgar uma concepção de conhecimento em música que possa ser considerada relevante para a formação humana, justificando, assim, a presença da Música na educação escolar brasileira;

Contribuir para o processo de inclusão da Música na educação através de um projeto que se apoia nas principais referências educacionais adotadas no país. 

Por que formar Músicos Educadores?

Enquanto cada vez mais pessoas discorrem sobre perspectivas futuras e apontam para a necessidade de formar seres humanos mais capazes de atuar em sintonia com uma percepção mais profunda de si próprios e do mundo em que vivem, alguns educadores discutem idéias para regulamentar o Projeto de Lei 2732/2008, que torna novamente obrigatório o ensino de música em toda a educação básica.

A lei como fato consumado vem suscitando um sem número de perguntas especificamente relacionadas à presença da música na escola brasileira. As duas questões que emergem como amplas e principais estão relacionadas à concepção de conhecimento em música e à formação de professores.

A concepção de conhecimento em música ganha especial relevância quando se toma por referência uma educação comprometida com as características de formação humana apontadas acima - um compromisso que exigirá da escola não apenas uma revisão de todo o seu projeto curricular, mas também que considere cuidadosamente a construção de conhecimento a respeito do mundo natural e a própria constituição do aluno enquanto ser humano como processos simultâneos, integrados e indissociáveis. A experiência mostra que a Música oferece ao aluno possibilidades únicas de construção de esquemas quando é utilizada não como entretenimento ou outros fins, mas como linguagem; quando o ensino e a aprendizagem musical privilegiam o perceber e o perceber-se como alicerces da construção do conhecimento musical e do ser, valorizando tanto os produtos finais quanto a qualidade das experiências e processos de apreciar, compor, interpretar e improvisar.

Nesse horizonte de possibilidades, a formação dos professores é a questão mais dramática.  O curso "Formação de Músicos Educadores", que acontece desde março de 2009 na escola Espaço Musical , inspira-se nas idéias apresentadas acima. Concebido como uma iniciativa sustentada por um conjunto de experientes professores de música, o curso já tem três turmas formadas. As duas turmas em andamento, patrocinadas a partir de leis de incentivo, vem consolidando esse curso como importante referência para a Educação Musical no Brasil.